Macacões respodem

Nós e vários outros blogs recebemos um comentário do sr. João Livi, Diretor de criação da Talent, um responsável direto por toda a polêmica levantada pelo Estadão.Como eu não sabia se era ele mesmo ou alguém me sacaneando. Eu o enviei um e-mail para ele e hoje de manhã eu recebi a confirmação de que ele mesmo enviou a mensagem.

Jogo do Atari Custer’s Revenge
General Custer já esteve envolvido em muitas polêmicas com os índios…

Vou dar espaço pro aqui pro João (vou tratar por João, ok?) e vou reproduzir todo o comentário dele, fazendo os meus próprios comentários.

AGORA QUE VOCÊ JÁ LEU A VERSÃO DO GENERAL CUSTER,
LEIA A DOS ÍNDIOS.

Beleza cacique, mas vamos sem Caps Lock por favor.

Nos últimos dias, vimos reverberar na blogosfera ataques e defesas à nova
campanha do Estadão, feita pela Talent. Tudo começou nos blogs de publicidade e nos pegou totalmente de surpresa, principalmente por que o subtexto que foi espalhado
por aí, de que o Estadão é contra os Blogs, não foi colocado em nenhuma das
peças da campanha. Isso seria extremamente incoerente, já que o Estadão sabe
que os blogs não só fazem parte da sociedade como do próprio Grupo Estado.
Sendo assim, vamos analisar a questão mais de perto pra saber se houve alguma
falha na comunicação da campanha.

Viu? Sem Caps Lock é mais gostoso. O Estadão ser contra os blogs seria realmente incoerente e contraditório, já que o Estadão abriga vários blogs, por exemplo.

Os filmes começam com uma vinheta , World Wierd Web, que já identificam o propósito de fazer humor com a parte estranha, sem noção, da web. No filme em que o rapaz lê o blog de economia do Bruno, o cientista diz que o macaquinho já está copiando e colando textos pela web. É impressionante, mas a
reação que esperávamos dos blogueiros é exatamente contrária ao que aconteceu. Quantas vezes, você blogueiro já não encontrou seu texto por aí, fora de contexto, faltando partes e sem os créditos?

Eu já falei disso antes. Qual o problema em ser estranho e sem noção? Você acha que alguém que tivesse noção colocaria está imagem no meio do post:

Essa imagem não faz muito sentido.

Não sei o resto do pessoal, mas eu fico até contente quando me copiam por aí. Meus posts estão sobre a licença Creative Commons e podem ser copiados e até modificados a vontade dentro de algumas pequenas restrições.

No outro filme da campanha, dois ruivos colocam informações mentirosas na internet pra sair ganhando alguma coisa. As meninas que são enganadas pelo hoax nunca falam que encontraram essas informações num blog e, do outro lado, um dos ruivos diz apenas “pronto, tá na net”. Nesse caso, nada de blogs. Na mídia impressa acontece algo parecido, apenas um do três anúncios diz abertamente “Blog”, os outros dois usam os termos “página” e “site”.

Eu vivo dizendo aqui, não acredite na internet, nem nos jornais, na igreja, na tv e nem em coisa nenhuma. Novas formas de comunicação exigem novas condutas e novas posturas éticas.

Desta forma , nós posicionamos o estadao.com em linha com a proposta de
credibilidade, conteúdo de qualidade e compromisso do Grupo Estado. Os sites,
blogs, veículos e pessoas que frequentam o lado “luz” da internet , obviamente, não devem se sentir atingidos por uma crítica ao lado “escuro” do ambiente
virtual, da mesma forma que um bom jogador de futebol não deve se sentir
desvalorizado por ter um colega perna-de-pau ou quebrador de joelhos. Ou será
que os publicitários que primeiro criticaram nosso trabalho consideraram
uma campanha difamatória aos publicitários o fato de um dono de agência ganhar as manchetes por servir de intermediário na distribuição de fortunas em verbas públicas?
Alguém em sã consciência pode defender incondicionalmente todo o conteúdo da
internet , com seus hoaxes , pegadinhas, pornografias, ideologias escondidas,
baixarias, falsos gurus, falsários, tomadores de dinheiro e tempo, Maranhão do
Sul na wikipedia, alterações da história e interesses privados disfarçados de
clamor do internauta?

Pode parar Até esse parágrafo ia tudo bem. Já vi que você nunca pisou aqui no EPTM mesmo.

Darth Vader

Nós não somos do lado da luz! Nós temos uma seção semanal de homenagens ao Darth Vader! E além do mais, o que seria de todos nós sem o lado escura da rede? Viveríamos condenados às mesmas porcarias condicionadas pela televisão? O que seria do mundo sem os blogs de warez, downloads de filmes e episódios, mulé pelada, hoaxes e falsários?

Oooos Pirata!

E agora cantem comigo nossa canção!

A web é uma bagunça, é um caos e é também um dos exemplos mais bem sucedidos de organização na história da humanidade. O que é um “maranhão do sul” no meio aos 8 milhões de artigos da Wikipédia? Sem contar os recentes casos onde alguém da sua tribo (Fox e BBC) andou fazendo bagunça na Wikipédia.

No seminário da Microsoft este ano, em Cannes, os dados apresentados levaram
a uma inconteste conclusão: a de que a internet, como as
regiões de uma cidade, vai se dividir em duas. Uma útil, crível ,
inteligente, prestadora de serviço, informativa e confiável. Outra que é como
uma rua escura e sem policiamento: vai quem quer, sob seu próprio risco. Vamos
sempre promover o estadão.com como parte da primeira metade.

Separar o joio do trigo na internet deveria ser do interesse de qualquer
cidadão de bem.

oh boy Com todo o respeito, Microsoft é o meu ovo!

Steve Balmer

A mesma Microsoft que diz que o Linux viola patentes ou a mesma Microsoft que apoia o DRM ou aquela outra que espalha FUDs ou aquela Microsoft que apoia a China em silenciar jornalistas? Se dependessemos da Microsoft a Internet ia ser muito, muito, muito pior da que conhecemos hoje.

Para finalizar, eu acho que a campanha atacou sim os blogs e a Internet como um todo. Foi um ataque non-sense e contraditório e é muito mais estratégico para o Estadão tentar entender esse fenômeno ao invés de tentar ridiculariza-lo ou ataca-lo. Tem uma frase de um rapaz que cai muito bem aqui:

“Primeiro eles te ignoram, depois eles riem de você, depois eles lutam contra você, e depois você vence.” Gandhi.

Paz
- Façamos amor e não a guerra.

Cachorro segurando o jornalE para eu não dizerem que eu sou contra os jornais e revistas, saquem só os preços de assinaturas de jornais e revistas.

Buscapé.