Um livro velho, cortesia do projeto openclipart
Imagem cortesia do projeto Open Clipart Art Library

Prefácio:

Isso era pra ser um post.

Mas aí eu comecei a escrever e vi que isso estava mais pra mais uma série de posts aquim no eupodiatamatando.com. Aí logo no primeiro parágrafo eu notei que ese assunto era mais que uma série, era na verdade um blog inteiro, ou melhor, um livro!

Mas ninguém lê livros.

Aliás, não são só livros, é raro eu achar alguém que leia qualquer coisa (não, Harry Potter, Senhor dos Anéis, Código Da Vinci, nada disso conta). Então eu vou misturar tudo para fazer um livro diferente. Vou escrever um livro (livro de mentirinha, não é livro de papel) e a cada capítulo eu faço um post. Além disso os leitores podem ir comentando, fazendo correções e sugestões nos comentários do post. No final juntamos tudo, fazemos uma capa e soltamos um PDF.

gato pirata
Imagem cortesia do projeto Open Clipart Art Library

Sim, um livro que se consegue fazer download. Como se fosse pirataria, só que é uma pirataria pirata, porque o autor deixou e te incentivou a fazer o download. Eu não sou escritor, não vou ficar rico nem vou viver de livros (não tenho nada contra quem vive ou ficou rico com livros). Isso me dá a liberdade para subverter certas regras. Posso fazer e distribuir um livro do jeito que eu quiser. E já que eu vivo num pais onde um livro custa o PIB de uma pequena república caribenha, eu quero fazer um livro que seja barato. Convenhamos, somos todos traficantes. Traficantes de livros. Temos que recorrer ao mercado cinza das xerox para termos informação em papel a um baixo custo. E o pior é que essa informação vem fatiada, aos pedaços – tira aí a xero do capítulo 2 ao 4, quanto dá?

Ops, eu falei sobre do que é o livro, sobre como vai ser feito mas nem falei sobre de que se trata o livro. Bem, é um livro sobre como melhorar o mundo. Guerras, revoltas e revoluções já foram travadas tentando melhorar o mundo mas o que pouca gente percebeu é que na verdade a coisa é bem mais fácil. Você primeiro melhora o que está perto de você. Para começar aquela pessoa simpática que está sempre te olhando no outro lado do espelho do banheiro. Se conseguir isso, missão cumprida, o mundo já está um pouquinho melhor. O que vier agora é lucro.

Eu também poderia escrever sobre como consertar o mundo, mas eu preferi falar sobre como melhorar o mundo porque:

  • Eu não sei como consertar o mundo.
  • Seu eu consertar o mundo eu nunca vou poder escrever uma continuação. Ou então eu vou ter que sair por aí esculhambando tudo pra depois escrever um livro sobre como concertar o mundo definitivamente.
  • Se eu melhorar o mundo em pelo menos uma certa constante e outros livros melhorarem o mundo também em uma outra certa constante, após uma série sucessiva de livros o mundo estará consertado. (Isso se ninguém atrapalhar e se o mundo puder ser consertado num número finito de melhorias)

Ainda não escolhi uma licença nem um nome pro livro. Estou aberto a sugestões.

Quanto a licença eu estou pensando na Creative Commons Share Alike, que permite remixagem do trabalho, distribuição, exibição, lucro, autoria e é uma licença viral (trabalhos derivados não podem ter uma licença mais restrita que essa). As imagens do livro também serão de licenças não menos restritas que essa.

Quanto ao nome do livre, eu estava pensando em Como Melhorar o Mundo em 10 Passos Fáceis. Esse 10 seria substituído pelo número de passos dados no livro. Esses passos são coisas bem simples e fáceis como não deixar o celular ligado dentro do cinema. O livro todo são um apanhado de coisas que me chateiam no mundo. Esse título é bem livro de auto-ajuda, o que é bom, vai confundir as pessoas. Livro de auto-ajuda vende pra burro. Trocadilho do carilho

Mas esse não é um livro de auto-ajuda. Seria mais um livro de auto-ajuda ao contrário. Ele não te ajuda em nada, mas vai deixar as pessoas ao seu redor contentes.