Archive for December, 2007

Pora meu, fui em Sampa. Parte 3

Já houve a primeira, a segunda e essa é a terceira e última parte dessa série.

Eu não tinha como não cair. Um cara aparentando uns vinte e poucos anos, maior pinta de gringo, loiro, olhos azuis. Nos pergunta, em inglês, se falávamos inglês. Sim. Ele conta sua história. Foi assaltado, perdeu os documentos, dinheiro e tudo. Ele disse que na embaixada ninguém tinha ajudado ele e que o hotel mais barato que ele achou para passar a noite custava 24 reais mas ele não tinha nenhum dinheiro.

Eu estranhei que a outra pessoa no carro comigo não deu nenhum dinheiro só falou pra ele ir no hotel e contar a história toda que eles iam entender e dar um jeito. Assim mesmo eu dei uma quantia mínima. Fomos embora. Aí ela me contou que naquele bairro esse é um golpe bem comum, ela já tinha sido abordada quatro vezes com a mesma história. :o Nossa.

Meu vôo no outro dia era as 16 horas, era o que estava escrito no bilhete. Me falaram que havia um ônibus do próprio aeroporto passava praticamente em frente ao meu hotel e me levaria direto para o aeroporto de guarulhos. Isso ia custar uns 25 reais, bem mais em conta do que pegar um táxi que da paulista para guarulhos sairia uns 80 reais. Beleza, liguei pra um outro hotel pra confirmar isso, passei num outro hotel pra confirmar também, falei com meu hotel, era isso mesmo.

Pelas minhas (ingênuas) contas, se eu estivesse na parada do ônibus duas horas antes do vôo daria tempo. As duas da tarde estava lá esperando o ônibus, confirmei os horários do ônibus com um pessoal que estava lá, tudo ok. Algum tempo depois eu estava a caminho. Uma meia hora depois o motorista me avisa que o ônibus ia parar em vários lugares e que chegaria em guarulhos as cinco da tarde! Não entre em pânico – penso eu – desça e pegue a porra de um táxi.

Felizmente em São Paulo existem ruas com uns limites de velocidade bem aloprados. Aqui em Fortaleza achar alguma via com limite de 80km/h é um milagre. Saindo da cidade dei por conta que lá não tem mais outdoors, né? É bonito mas também estranho, dá uma aparência diferente, sei lá. Saltei do táxi bem em cima do check-in da Gol e bem em cima da hora também. Era bem perto das 4 da tarde.

Aí uma moça da Gol – eu não vou dizer o nome, senão ela vai ganhar um aumento – disse que eu não ia voltar pra casa, que eu estava atrasado. Aí eu fiquei meio desesperado, meu celular não funcionava, estava a 3 mil quilômetros de casa e sem ter como voltar.

Aqui eu tenho que parar para fazer um parênteses. Eu acho que quem chega atrasado tem mais é que se foder mesmo. Se o mundo fosse sempre esperar os atrasados o planeta não girava. Os aeroportos no Brasil já estão um caos, imagina se os aviões fossem esperar os atrasados. Mas como eu vou mostrar, não era bem esse o caso.

venha venha venha

Aí eu fui dar uns telefonemas, tomar um café pra me recompor e tirar um dinheiro no banco, eu já havia desistido de entrar naquele avião. No caminho eu percebi que tinha uma tela com o meu vôo com o nome em vermelho piscando “LAST CALL”. Poxa, então esse avião ainda está em solo, me chamando! Eu realmente estava a fim de voltar pra casa então fui no check-in novamente.Eu expliquei gentilmente que eu precisava voltar pra minha casa e que o meu avião alí parado me chamando. Aliás, se o vôo era as 4 horas ele não deveria nem estar ali, certamente ele estava atrasado. Tudo o que eu queria era a chance de tentar embarcar porque o tempo estava passando e o avião estava parado mesmo. De onde eu estava até o meu avião eram só cinco minutos!

Eles me explicaram que eu estava atrasado e que eu não poderia mais embarcar. Eu não achei aquilo muito “inteligente”, eu estava lá, a passagem estava lá, o avião estava lá, porque eu não podia entrar?

meu vôo

No alto, um grande painel indicava que eu tinha até 16:30 embarcar. Uma luz vermelha hipnótica piscava pra mim dizendo “Silveira… Silveira… eu estou aqui te esperando… last call…isso não faz sentido…”. Mesmo assim desconsolado eu me dirigi para o balcão de compra de passagens.

Gol: Linhas Aéreas Espertinhas

Uma fila de passageiros, um único carinha atendendo. Aí ele me disse que pra trocar a passagem eu ia pagar 80 reais de multa mais a diferença para a outra passagem. Quando ele me disse o preço da passagem foi que eu entendi, o lance era “Gol: Linhas Aéreas Espertinhas”. A outra passagem custava o preço de uma pequena usina hidrelétrica. Nessa mesma hora chegaram mais três passageiros do meu mesmo vôo, chegaram depois de mim e não puderam embarcar. Ainda estavam naquela primeira fase, a de desespero (depois vem pânico, desespero, medo, raiva, desespero, raiva, consentimento e tristeza).

meu avião indo embora

Fui tomar meu café e assistir meu avião indo embora sem mim. No alto a luz vermelha continuava a piscar me perguntando o que eu estava fazendo alí parado. Bem, pelo menos eu havia tentado.

meu avião decolando
- Tchau Silveira! Boa sorteeeee!

Achei uma passagem um pouco mais barata, só tinha uma vaga. Preferi comprar logo antes que um dos outros passageiros atrasados o fizesse e me deixasse sem chance nenhuma.

Bem, eu já estava fodido mesmo e o vôo ainda ia demorar. Já sei, vou tentar encontrar meu livro que eu perdi no vôo. Fui nos achados e perdidos do aeroporto que me mandou ir nos achados e perdidos da Gol. Alguns funcionários da Gol diziam que isso não existia enquanto outros se limitavam a me dar informações incorretas. Para encurtar a história, eu fui em todos os lugares do aeroporto onde um civil pode ou não entrar. Por fim eu acabei achado, mas eles não sabiam do meu livro. Deixa pra lá então, eu vou lendo uma revista mesmo.

Quando eu ia embarcar eu lembrei que na ida, eu tinha visto uma caixa onde a polícia federal colocava os objetos apreendidos. Estiletes, tesouras, chaves de fenda, facas e coisas que só um idiota levaria na bagagem de mão em tempos estúpidos como o nosso. Poxa, eu precisava de uma foto daquilo. Dessa vez eu resolvi ser mais esperto do que no MASP, eu ia fotografar primeiro e perguntar depois. Preparei a câmera e tirei essas fotos:

Caixa de armas

Caixa de armas 2

- Ei rapaz! Você não pode tirar fotos disso! – Disse o cara da Polícia Federal.
- Oh, desculpa! – E saí de lá antes que eles tentassem alguma coisa estúpida como mandar eu apagar alguma foto.

Bem, trata-se da minha nova abordagem sobre o que eu posso e o que eu não posso fotografar. Eu posso fotografar qualquer coisa que meus olhos passam ver. Se você tem um quadro na sua casa que você não quer que ninguém fotografe, tudo bem, eu não vou arrombar sua casa, lhe dar uma voadora e tirar uma foto, isso seria no mínimo invadir sua privacidade. Mas se você pendurar o mesmo quadro na calçada e eu passando vejo com meus olhos, então dane-se, eu posso fotografar. Se você quiser que eu não possa fotografar coloque um saco plástico preto em cima do maldito quadro. É o mesmo caso dessa caixa aí, estava lá para eu ver, bem no meio da passagem.

Lá pelas tantas a Gol me muda de vôo o outro estava com problemas ou alguma coisa assim. Depois de muita espera pelo horário do vôo eles anunciam que o meu vôo ia atrasar. Oh Really?! Quer dizer que quando eu atraso eu me lasco mas se eles atrasam, então tudo bem. Pimenta nos olhos dos outros é coca-cola, né? Massa, Gol: Linhas Aéreas Espertalhonas. Não faz muito sentido as regras arbitrárias que se aplicam a um cidadão não sejam aplicáveis a uma companhia.

Dentro do avião uma demora danada, vários casos de mais de um bilhetes correspondendo a mesma poltrona. Como é que uma companhia aérea no Brasil consegue falir desse jeito? É muita incompetência, sem falar nas tragédias aéreas que tivemos esse ano.

De toda forma fica a lição pra mim e pra vocês, cheguem cedo, muito cedo para o seu vôo, porque se depender deles…

MegafoneFaça um blogue ou veja os preços de um megafone e bote você também a boca no trombone. Já Cotei.

Quando um não funciona, tente outro

Seu carro caiu dentro de um rio! :(( Calma, você liga para a melhor empresa de regastes, a Eu Podia Tá Tirando. :)]

Parte 1

- Vai lá meu filho, força! Tá se garantindo, tira meu carrinho daí!

parte 2

- Ca … Ca … Caramba! :-s Essa não! Meu carro! Seu guindaste! E agora?
- Er … Não se preocupe senhor. Para essas situações dispomos de uma solução bastante criativa e inovadora.
- Qual? /:)
- Um outro guindaste! Maior!

Parte 3

- Nossa! Agora sim, esse é mesmo bem maior! Vai lá, puxa logo esse troço.

Parte 4

- Depois não esquece de puxar também meu carrinho, ou o que sobrou dele no fundo de um rio debaixo de um guindaste.

parte 5

– Eu me pergunto porque vocês não usaram o guindaste maior logo no início…

Carro brancoDê uma olhada nos preços de carros novos, porque esse aí meu filho, esse aí já era. Já Cotei.

O natal está chegando minha gente!

Aí aí aí, é natal
Ho Ho Ho Ho!

Notebook

Faça como eu, continue procurando preços de notebooks, uma hora ou outra eu encontro um que me agrade e que o papai noel queira me dar. Já Cotei.

ninguém odeia o bambolê

Metal emoticon Não importa se você pinta os olhos de preto, os lábios de preto e se veste todo de preto…

ninguém odeia o bambolê
Mesmo se você odeia tudo … ninguém odeia o bambolê

Adaptada dessa aqui.

Isso me lembro um emo que eu vi no parque de diversões outro dia. Era uma expressão do tipo – calma xenti, eu extou me dirvextindo!

caveira de metalBambolês? Não. Obviamente dê uma olhada nos preços de cds de METAL para o seu natal! Já Cotei.

Vídeo do acidente do piloto Rafael Sperafico

O piloto paranaense Rafael Sperafico, de 27 anos, morreu neste domingo após acidente na corrida de Interlagos da Stock Car Light.

Este é o vídeo do acidente em Interlagos:

Segunda as palavras do Dr. Dino Altmann, médico responsável pela categoria Stock Car Light:

“As imagens todos vocês viram. Infelizmente, ele ficou exposto da pior forma: o carro parado na pista com o lado dele virado para quem vinha na reta. Renato Russo não conseguiu desviar e pegou a lateral do carro de Rafael. Esse choque em T é sempre o que mais tememos. Ele sofreu um traumatismo craniano extremamente severo, com parada cardio respiratória e, apesar de todas as tentativas, não tivemos qualquer êxito na sua reanimação.”

Infelizmente uma pancada lateral a essa velocidade (uns 200km/h) é fatal para o piloto, basta ver o vídeo e ver como ficou o carro. É uma fatalidade mas acho que todos os envolvidos no esporte conhecem seus riscos.

Mais vídeos: logo após o acidente.

Notícias: stock2007, globo esporte.