Archive for May, 2008

Alguém precisava dizer isso

Você já ouviu falar do controle remoto de portão automático?


meu controle Creative Commons controle.svg

Meus amigos, o controle remoto de portão é uma das maiores invenções da humanidade, perdendo somente talvez, para a pasta de dentes com listras multicoloridas. Você já parou pra pensar como é que colocam a pasta de dentes e as listras multicoloridas dentro de um tubo plástico? É fantástico.

Pois bem, o controle remoto de portão é basicamante um pequeno artefato eletrônico que permite que em sua casa, prédio ou condomínio devidamente equipado com um portão automático, seja aberto a uma considerável distância.

E assim foi. Casas, prédios e cidades inteiras foram equipadas com portões automáticos. Cidadãos podiam chegar em casa a qualquer hora do dia ou da noite e na comodidade e conforto de seus carros e com um simples e silencioso movimento seus portões abririam automaticamente como que por mágica. Não mais o sono dos porteiros seria pertubado novamente para desempenhar uma tarefa monótona e simplória. Não mais a integridade física dos passeiros dos veículos seria posta em risco ao ter que sair do carro para abrir o portão.

Mas não.

Muitas pessoas, por motivos que estão muito além da minha capacidade de entendimento dos motivos das pessoas, optaram por não adquirir essa pequena maravilha. Em minha pesquisa independente (resultados 1, 2, 3) eu apurei que um controle desses não sai por mais de 30 reais. Num estranho saudosismo primitivo, preferem sentar o dedo na buzina e evocar um som estridente para avisar o quarteirão inteiro que você chegou, é um idiota e não seu deu ao trabalho de comprar um controle. Imagine-se você, confortavelmente sentado na sala de jantar do seu apartamento no segundo andar, a primeira garfada de macarrão pene a roquefort a poucos centímetros da sua boca quando, sem mais nem menos, um si bemol corta toda sua concentração e te deixa atordoado. Isso não é nada a mesma situação mas substituindo a garfada de pene por um sono profundo as 3 da manhã. Isso não é nada comparado a tudo isso, acontecendo pelo menos uma vez a cada hora. Ou seja, você pode até achar que a sua buzinada inocente e inconseqüente só adiciona alguns decibéis insignificantes a paisagem sonora do dia mas, se multiplicarmos esses decibéis por milhares de imbecis você tem a melodia cacofônica do mundo moderno.

E por essas e outras que o inferno assume um papel totalmente novo no nosso tempo. Ninguém teme mais o inferno, o castigo eterno por uma vida de pecados. O inferno agora é uma consolação, uma esperança para aqueles que como eu acreditam que há um bairro no inferno para abrigar as almas de quem não tem um controle de portão. Lá eles serão submetidos ao tormento perpétuo de escutarem um sem fim de buzinas de uma fila infinita de idiotas que jamais comprarão a porra de um controle. É bem verdade que eu passo muito tempo pensando sobre os vários bairros do inferno.

Eu espero que agora concorde comigo que o controle não é só uma comodidade individual, é um passaporte de entrada como cidadão de uma civilização que sabe tirar proveitos dos avanços tecnológicos.

Sem CNPJ e Sacos Plásticos

Não é mais preciso CNPJ para .com.br

Você deve está aí pensando – um blog não serve pra nada. Provavelmente você está certo mas aqui e ali há exceções. Talvez não dê para mudar o mundo mas dá para influenciar algumas opiniões, fazer amigos e ganhar alguns trocados.

Várias pessoas me enviaram a notícia. Agora já não é mais exigido um CNPJ para registrar um domínio ponto-com-ponto-br.

E o kiko? – você se pergunta – kiko-tenho a ver com isso?

Para quem lê o blog a mais tempo lembra-se que esse foi um motivo de uma saudável discussão no Campus Party sobre praticidade versus semântica no registro de domínios no Brasil. A discussão saltou do nerdstock do Ibirapuera e veio parar aqui, nos comentários daquele post, contando inclusive com a presença do Demi Getschko, que com toda simplicidade dialogou com a comunidade. Eu gosto de acreditar que toda essa troca de idéias tenha colaborado com o processo. Muito obrigado ao Demi, ao registro.br e ao Cgi.br.

Bebe japonês dentro de um saco plástico

Mudando de assunto, ano passado eu declarei meu ódio aos sacos plásticos e engrossei o coro dos descontentes com a exacerbação plástica nos supermercados.


Imagem retirada do blog Conexão Ambiental.

Hoje, só para citar um exemplo, a rede Pão de Açucar já dispõe de uma alternativa sustentável às sacolas plásticas. São sacolas retornáveis que você pode comprar dentro do próprio super-mercado e além de estar evitando o uso muitas vezes desnecessário e impactante de uma sacola plástica ainda está ajudando a SOS Mata Atlântica (ou pelo menos eu acho que tá).

E não é só o Pão de Açucar. Hoje é difícil eu entrar em um super mercado que não ofereça uma solução similar. Quem não está oferecendo está perdendo dinheiro. Sim, porque soluções como essas além de ecologicamente sustentáveis também são economicamente viáveis. É uma solução ainda melhor do que proibir ou multar pelo uso de sacolas plásticas. Quem acha isso uma tremenda perda de tempo e dinheiro, não usa e pronto. Quem acha isso importante, usa uma sacolinha retornável e sai de sentindo o próprio capitão planeta – vai Planeta!

Quem sabe um dia veremos a abolição dos saches de catchup. ;)

Escolha Cuidadosamente Sua Babá

Escolha cuidadosamente quem vai cuidar do seu filho, ou você pode acabar com esse ai.

Ou será o pai?