Hoje foi o grande dia dos inesperados e ao mesmo tempo tradicionais flash mobs aqui no Campus Party Brasil, por mais paradoxal que isso possa soar.

Ninguém sabe ao certo de onde os flash mobs surgem ou qual e quão louco será o próximo. Enquanto alguns acreditam que eles sejam uma conseqüência direta da combinação perigosa entre o confinamento e a visita repentina das coelhinhas da Playboy ao evento outros já acham que foi uma loucura generalizada pela venda de Red Bull a 1 real pelo Pagseguro (mas somente se você pagasse dentro do sistema deles).

Campus Party Brasil

Também foi o dia do debate sobre o projeto de lei de cibercrimes do senador Azeredo com a presença do Sérgio Amadeu, Ronaldo Lemos e com um representante do senador já que o próprio senador Eduardo Azeredo optou por não comparecer.

Campus Party Brasil

Também crescem as notícias de roubos dentro do evento. Apesar de muitos seguranças e dos postos de checagem de equipamento com identificação, há muitas brechas que estão sendo exploradas por criminosos dentro do evento. Chegam notícias de notebooks roubados das bancadas (principalmente os pequenos e os sem cadeados) e poses furtadas de dentro de barracas (mesmo de barracas trancadas). Quebra-se o encanto da segurança do evento. Já vejo com nostalgia aqueles tempos de Campus Party moleque, Campus Party arte…

E eu, mais uma noite virada. º_º