Posts tagged Ashte

300

Sin City PosterSin City, turma, quem assistiu?

Eu assisti. E dei mó valor mesmo sem nunca ter lido o trabalho do Frank Miller, o desenhista que fez a revista original, na qual o filme é baseado. Raposa sagaz que sou, não caio no mesmo truque duas vezes e já li “300″.

300 é uma “graphic novel” (muito feio chamar de ‘revista em quadrinhos’) também do Frank Miller, que conta a história dos espartanos e o seu rei Leônidas, e como 300 deles lutaram contra 1.000.000, na Batalha das Termópilas. Uma história fantástica, devidamente “melhorada” (algumas liberdades são tomadas, como Xerxes ser negro, careca e ter mais piercings que toda a população do hemisfério sul) pelo Frank Miller e que agora tá virando filme.

Como como foi feito com Sin City, o objetivo é deixar o filme o mais parecido possível com o trabalho original. E eles tão conseguindo. E tá ficando *foda*. Só estréia dia 09 de março e eu já tou me coçando pra assistir. Dê uma olhada no trailer novo.

Quem puder, eu sugiro que dê uma olhada na revista. Dica: quem não puder comprá-las, é só procurar que dá pra achar no eMule. Mas pirataria é útil providencial mais barato crime hein, então esqueçam o que eu disse.

Site oficial, IMDB, a revista na wikipedia, o filme na wikipedia.

Em tempo, quase esqueço! Descubra quem vai fazer o papel de Xerxes, o rei persa, que você vai gostar.

Conto de verão nº 2: Bandeira Branca

Máscaras de CarnavalAniversário de namoro hoje.

Meu presente é o Conto de verão nº 2: Bandeira Brancado Luís Fernando Verissimo

Não que agente seja um amor de carnaval, não é nada disso, mas é sobre a efemeridade do tempo.
Conheci este conto naquele Contos da Meia Noite que passa na TV Cultura, que são contos lidos e interpretados por atores. Só texto e interpretação. Há vários deles no YouTube, alguns com o Antônio Abujamra (sou muito fã dele).

Compre aqui livros do autor (buscapé).
Clique aqui para ler o conto, vale a pena.
Beijão amor, te amo.

O Guia do Mochileiro da Galáxia

Um filme sobre ficção científica e cultura nerd.

Capa do guia dos mochileiros das galáxiasO Guia do Mochileiro das Galáxias (The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy, 2005). Eu sempre quis ler esse livro, aí lançaram um filme e eu decidi finalmente dar um espiada.

É um lugar comum dizer que uma adaptação de livro não rende um bom filme e é ainda mais estranho quando quem diz isso nem leu o livro. Mas eu vou me explicar.

A proposta do filme é ser um comédia, do melhor humor britânico, tendo como tema a ficção científica (mas eu não o considero uma sátira). Ele até vai no caminho: bons atores, excelentes personagens, um roteiro promissor e nota-se que a equipe é competente tecnicamente mas a coisa toda simplesmente não dá certo.

A sensação quando eu assisti é que ficou parecendo como uma compilação mal sucedida de um longo seriado. Seria como fazer um Star Wars dos 6 episódios em 100 minutos.

ZaphodOs personagens são muito ricos e muito engraçados mas não houve espaço nem tempo para eles se desenvolverem. E olha que tinham o John Malkovich no elenco. Apesar disso eu achei Sam Rockwell estupendo como Zaphod. Um dos Schnauzer por isso.

Assistindo aos extras no DVD do filme dá para entender porque o filme não dá certo. O diretor cortou muita coisa boa (há um piada sobre ateísmo, muito boa) e colocou muita coisa ruim. Há cenas inteiras, importantes para o continuidade do filme, que foram simplesmente cortadas.


Por ser um humor meio sem graça, que não ficou nem inglês nem hollywoodiano, e pela falta de ritmo e continuidade no filme, ele perde quase tudo. O DVD do filme você pode comprar aqui (buscapé).
Minha nota, 2 de 5 Schnauzers:

2 de 5 Schnauzers

Mas isso não abalou minha vontade de ler esse livro, pelo contrário, foi realmente uma visão embaçada do que o livro tem para oferecer. Espero comprar ele o quanto antes. Se você quer comprar ele agora, está quase de graça aqui (buscapé).

Fiz uma userbar…

E perdi um tempão com isso…

Ontem eu conheci as “userbars“, que nada mais são além de imagens de 350 de largura por 19 pixels de altura. Fiquei com vontade de fazer uma pra mim. Aí fiz.

Foi um trabalho intenso. Primeiro eu visitei os sites http://userbars.org/ e http://userbars.be/ e http://userbars.com/. Depois vi que na verdade, eu queria mesmo era fazer as minhas próprias imagens. Tentei no gimp. Falhei miseravelmente. Até que eu encontrei o Userbar Maker, um softwarezinho gratuito, simples e fácil de usar. Aí fiz algumas e vi que eu sou péssimo nesse lance de userbar. Mas criei uma pro eupodiatamatando! :)

A critério de sadismo, vou postar as atrocidades que eu criei num gif animado.

manero userbar

(não sei porque a qualidade das imagens ficou tão ruim em relação aos originais, nem me importo :(, já desisti de fazer uma decente…)

Tem umas userbars muito bonitinhas, mas a maioria nesses sites que eu disse ali em cima îîîî são tipo “keyboard user” ou “randomAnime watcher”, que eu achei mei paia. Mas cada um cada qual né :)

Em tempo!: Se você for fazer uma userbar, bote essa aqui: eptm userbar. Clique na imagem com o botão direito, e selecione “Salvar imagem como” ou “Salvar como”.

Jack Anderson

LochlanHoje é a vez do meu grande amigo Jack Anderson. Tatuador, pintor, desenhista, enfim, um ashtista completo. De vez em quando ele nos agracia com sua ashte, e eu exponho aqui.

Eis o processo (e clique aqui (ou na foto) pra ver a imagem em alta resolução!):

1) Desenho a lapis (mina 6B).

2) Equalização das cores do grafite, base da silhueta, e paleta de cores, da paisagem: montanhas e horizonte.

3) Base das cores dos objetos centrais: Lochlan, Pedra, Arvore Nó.

4) Luzes, sombras e brilhos do cenario inicial, com a aplicação “freehand” de outros elementos na paisagem (torres). Ajuste de brilho e contraste, finalização de detalhes periféricos.

Ele fez esse desenho pra um personagem dele de CHANGELING: THE DREAMING que quem narra é o Leonardo (um outro amigo nosso). Foi baseado no cenário de SLAYNE: THE HORNED GOD.

Poisé, qualquer dia desses eu boto mais dos trabalhos do Jack por aqui… quem sabe uma tatuagem ou coisa do tipo hehe.