Posts tagged Campus Party Brasil

Quinto Dia no Campus Party

Hoje foi o grande dia dos inesperados e ao mesmo tempo tradicionais flash mobs aqui no Campus Party Brasil, por mais paradoxal que isso possa soar.

Ninguém sabe ao certo de onde os flash mobs surgem ou qual e quão louco será o próximo. Enquanto alguns acreditam que eles sejam uma conseqüência direta da combinação perigosa entre o confinamento e a visita repentina das coelhinhas da Playboy ao evento outros já acham que foi uma loucura generalizada pela venda de Red Bull a 1 real pelo Pagseguro (mas somente se você pagasse dentro do sistema deles).

Campus Party Brasil

Também foi o dia do debate sobre o projeto de lei de cibercrimes do senador Azeredo com a presença do Sérgio Amadeu, Ronaldo Lemos e com um representante do senador já que o próprio senador Eduardo Azeredo optou por não comparecer.

Campus Party Brasil

Também crescem as notícias de roubos dentro do evento. Apesar de muitos seguranças e dos postos de checagem de equipamento com identificação, há muitas brechas que estão sendo exploradas por criminosos dentro do evento. Chegam notícias de notebooks roubados das bancadas (principalmente os pequenos e os sem cadeados) e poses furtadas de dentro de barracas (mesmo de barracas trancadas). Quebra-se o encanto da segurança do evento. Já vejo com nostalgia aqueles tempos de Campus Party moleque, Campus Party arte…

E eu, mais uma noite virada. º_º

Campus Party 2009

campus_party_20091

Meus caros, ainda hoje rumo a São Paulo para morar uma semana no Campus Party Brasil 2009.

Você pode acompanhar ao vivo o que está acontecendo nesse grande nerdstock através do live stream do Blogblogs. Para quem está lá, terça-feira eu vou dar uma oficina de JavaFX as 8 horas.

Nos vemos por lá.

Mais Campus Party Brasil 2008

Eu Podia tá Matando no Campus Party

Depois de uma semana morando no Ibirapuera, finalmente estou em casa. Esse post é uma avaliação final do evento.

Rampa

Banda: a banda de 5 gigas é absurdamente ótima. Infelizmente eu não tirei muito proveito. Em 15 minutos eu já havia baixado tudo que eu queria e não tinha mais idéia do que baixar. Além de que, eu tinha mais o que fazer. Se você realmente quer aproveitar a banda de um evento como esses eu sugiro fazer um planejamento antes, escolher vários torrents e trazer um disco rígido bem grande e vazio.

Eu usei mais a banda para subir imagens para o Flickr. E pelas estatísticas do evento, a maioria das pessoas também usaram a banda disponível para subir fotos e vídeos.

Street Fight

Já que a largura de banda disponível está sendo bem aproveitada poderíamos aproveitar melhor a conectividade disponível. Baixar e subir arquivos no evento foi fácil e rápido mas descobrir conteúdo interessante e trocar arquivos com quem está do seu lado não.

Eu tirando uma foto

Palestras: eu peguei algumas ótimas palestras sobre Software Livre e Blogs. Eu destaco as do Alexandre Oliva, a do John Maddog Hall e a do Demi Getschko. O que eu senti falta foi de mais debates e mais participação. O Barcamp talvez servisse pra isso mas ainda não funcionou tão bem.

Modding

Free stuff: o Campus Party foi o paraíso para quem curte free stuff, brindes e coisinhas de graça. Chegou um ponto que eu estava recusando porque eu não queria deixar minha bagagem mais pesada.

Barracas

Barracas: não foi legal. Não cabem duas pessoas legal dentro da barraca e estava muito, muito quente. Além disso eu só havia levado roupas para frio e fez muito calor naqueles dias. Outra coisa que não foi legal foram as regras sobre quem podiam levar as barracas, que mudaram na última hora.

pintando o cabelo

Pessoas: as pessoas lá são a grande atração do evento. Fiz muitos contatos importantes, troquei idéias e aprendi um bocado. É legal você ver esse tipo de encontro de comunidades da Internet. No decorrer do ano cada comunidade tem seu próprio calendário e no Campus Party todas as comunidades podem se encontrar e trocar informações. Por exemplo, muita gente veio de todas as áreas até a área de Software Livre pra tirar dúvidas ou para conhecer mais. Nas palestras sobre Java que nós fizemos na madrugada havia gente da robótica, por exemplo.

Eu tirando uma foto

Um grande abraço a todo mundo que estava lá e a todos que me cumprimentaram lá! Até o Campus Party 2009!

obs: eu estou com uma conta presente do Flickr que eu não usei. Será que tem problema dar pra algum leitor aqui do blog? Se não tiver, vamos pensar em alguma forma de sorteio.

Pora meu, fui em Sampa. Parte 1

Eu vou logo avisando que essa é uma longa história, dividida em três longos posts.

Esses dias eu estava por aí e conheci o Marcelo Branco, que eu conhecia só pela rede, de blogs e vídeos no Youtube.

Marcelo Branco

Ele deu uma palestra muito interessante (inclusive nós gravamos e fizemos uma espécie de podcast) e depois batemos um papo rápido sobre blogs e sobre o blogcamp daqui e sobre o Campus Party.

Campus Party Espanha 2004
Campus Party 2004

O Campus Party é uma mistura de Fórum Social Mundial com Fórum Internacional de Software Livre e Woodstock. Como diria o Pedro Markun, vai ser o Nerdstock! :-b Pela própria descrição no site do evento:

A Campus Party é o maior encontro de comunidades da Internet do mundo. É um espaço pensado para incentivar o compartilhamento, a aprendizagem e a transferência de conhecimentos. Nele, durante 7 dias e 7 noites, milhares de participantes acampam em suas barracas, com seus computadores a tira-colo trocando momentos, idéias e experiências.

É com esse mesmo espírito que carrega a Campus Party da Espanha que, de 11 a 17 de fevereiro de 2008, a Bienal do Ibirapuera será transformada numa grande cidade tecnológica.

Bem, vocês ainda vão ouvir falar muito sobre Campus Party nesse e em outros blogs até porque uma área inédita do evento será a Área de Blogs. Inclusive aqui em Fortaleza, já há uma intensa movimentação para organizar uma caravana para participar do evento. Fiquem de olho. ;)

Acontece que o Marcelo me colocou em contato com o pessoal do Campus Party e me convidou pra ir em São Paulo para conversarmos mais sobre o evento. Como eu nunca tinha viajado de avião e também nunca tinha visitado São Paulo então ia ser algo particularmente divertido. E como eu já sou meio perdido em Fortaleza muita gente também achou que essa ia ser uma viagem particularmente perigosa. Mas eu sou louco pra conhecer São Paulo, é claro que eu topei na hora.

Eu dentro do avião na viagem de ida

Eu embarquei no Aeroporto Pinto Martins em direção ao Aeroporto de Guarulhos num vôo da Gol. Foi super tranqüilo, cheguei, check-in, embarquei e pá, já estava voando.

As aeromoças comissárias de bordo dizem aquela historinha pra te assustar, que o avião vai cair, não sei o que, você pega a poltrona e sai flutuando e tal. Na ida eu fui terminando de ler o Até Mais e Obrigado Pelos Peixes! do Douglas Adams. O avião balançava pra caramba, mas como era minha primeira viagem eu achei tudo muito normal. Felizmente faz poucos dias que eu fui a um parque de diversões então tudo aquilo foi mole.

Eu não ia andar de avião pela primeira vez e não sentar do lado da janela. :-? Daí eu vi uma poltrona dando sopa e fui pra lá. Como o vôo foi a noite dava pra ver as cidades formando constelações no chão. Como a lua estava bem cheia deu pra ver nitidamente as nuvens. É uma visão muito bonita.

O meu erro foi que quando eu mudei de lugar eu deixei meu livro na poltrona. Nessa altura eu já tinha terminado o primeiro e agora estava lendo a continuação do livro, o Praticamente Inofensiva. Quando pousamos alguém viu o livro e achou que eu tinha esquecido ali e levou para a aeromoça comissária de bordo. Ela por sua vez, e eu não sei porque, entregou o livro para outro passageiro e disse para que ele procurasse alguém que tivesse aquela cara típica de quem perdeu o livro. Eu peguei pus um livro na mão e saí andando na esperança desse plano estranho dar certo. O tal outro passageiro me encontrou, mas não estava mais com o livro, havia entregue de volta para alguém, acho que a aeromoça comissária de bordo. O fato é que eu sai dali sem meu livro e sem saber do destino de Arthur Dent.

praticamente inofensiva

Aliás, se você está com meu livro, entre em contato. É um livro como o da foto acima. Você pode até ler ele, porque apesar dele ser o quinto livro da trilogia do Guia dos mochileiros das Galáxias, ele pode ser lido independentemente de você ter lido os outros.

Dizem que a comida do avião é pouca e ruim. Bem, isso é verdade. Eu cheguei lá morrendo de fome. O Sérgio Amadeu foi me pegar no aeroporto e saímos pra jantar com um pessoal e depois eu fui pro hotel. Um hotel bem legal por sinal.

  • obs. 1: Teria sido uma boa idéia colocar um pequeno travesseiro e uma garrafinha d’água na bagagem de mão.
  • obs. 2: Meus agradecimentos ao Sérgio, Marcelo, a Mariel, a Tatiana, o Pedro , a Bianca e a todo mundo que também me ajudou por lá.
  • obs. 3: Gol, você se prepare, na terceira parte dessa história eu vou baixar o pau em você.

Câmera chibataQuer ver preços de câmeras digitais? Bem que eu queria ter levado uma câmera melhor. Já Cotei.