Posts tagged tipo assim

David Morse, o policial sacana

Quer fazer um filme e quer um bom ator pra policial bem otário, que está sempre atrapalhando a vida dos outros e que vai despertar a ira de quem está na poltrona?

David Morse como David Morse

Procure pelo ator David Morse. É pelo menos a terceira vez que eu vejo ele fazendo papel de mau policial. E não é só um policial mau não, é o vilão que você vai sentir ódio pelo resto da vida.

Para começar o pior de todos, quando ele fez Bill Houston em Dançando No Escuro. Quem já assistiu ao filme morre de ódio ao ver o que ele faz com a coitada da Selma. Inclusive um filme que eu recomendo fortemente.

David Morse como Bill Houston em Dançando no escuro
David Morse como Bill Houston e Peter Stormare (Abruzzi hehehe) com um dedinho na boca suspeito.

Depois eu vi ele como Frank Nugent no filme 16 Quadras, o policial corrupto que arma para cima do Bruce Willis.

David Morse como Frank Nugente no filme 16 Quadras
David Morse como mais um mau policial…

Em O Negociador ele resolve dar uma guinada na sua carreira e interpreta um … policial corrupto!

David Morse em O Negociador

E por fim ele resolve atacar meu super herói favorito, Doutor Gregory House. Aí é demais.

David Morse como Tritter em House
Pare! Deixe House fora disso!

Em À Espera de um Milagre ele milagrosamente Trocadilho do carilho fez um policial bonzinho.

David morse em À Espera de um milagre
David Morse se sentindo um peixe fora d’água.

E eu acho ele um bom ator e tudo mais. Quando se trata em ser um policial sacana, ele é o melhor. Mas há o preço que ele paga por ser um esteriótipo. Eu pelo menos eu não consigo mais olhar para a cara dele e não ver um vilão. Se eu ver ele num filme eu já vou desconfiar na hora que ele é um policial disfarçado e vou torcer para que todo mundo fique longe dele. Aliás, se eu visse ele na rua eu era capaz de dar um murro nele. raiva

obs: Agradecimentos ao Anderson Von que me lembrou do À espera de um milagre e ter me apresentado O Negociador, que eu ainda não assisti.

CaceteteAproveite e dê uma olhada nos preços de cacetetes elétricos, bastões e outros brinquedos. Buscapé.

Eu fui pra parada gay

Parada Gay Fortaleza 2007Fui a um parada gay ontem pela primeira vez.

O tema desse ano foi “Por uma Fortaleza Bela, sem machismo, racismo e homofobia”. Fui porque é uma manifestação por uma causa justa, mas se eu soubesse como era, eu já teria ido nos outros anos.

Fomos eu, meu irmão mais novo, meu primo, minha namorada e alguns amigos. Como foi na Beira Mar, bem perto da minha casa, teve a vantagem de nós podermos ir a pé (a distância também ajuda na hora de carregas os bêbados para casa).

A festa em si é muito simples, é como um carnaval, só que com mais música eletrônica. Tinha desde crianças até idosos, passando por toda a fauna sexual possível.

Foram 11 trios elétricos e um público estimado em 800 mil pessoas. Comigo tudo foi tudo tranqüilo, foi divertidíssimo, onde eu estava o policiamento estava bom, e eu não cheguei a ver nenhum incidente (exceto um tamanco voador que escapou de acertar um policial).

Hittler curtindo um som
Hitler curtindo um som.

Curiosidades:

  • A concentração da parada foi no morro do Granville, em frente as quadras de vôlei de praia. ¬¬ ré ré ré ré ré
  • A Gretchen passou do meu lado. :-P
  • No meio da parada, uma garrafa de cerveja caiu no chão e em coro uma multidão ecoou: -Uuuuiii!

Mulher Gato

Aproveite e dê uma olhada nos preços de fantasias e máscaras diversas.
Buscapé.

Extra! Brasil sob a iminência de uma DITADURA GAY!

Vinacc outdoor antigay anti-gay anti gay outdor

Diretamente da Paraíba (paraíba masculina mulhé maxu sim sinhô), o pastor Euder Faber, presidente da “Visão da Nova Consciência Cristã” (Vinacc) avisa:

“Nosso direitos estão ameaçados por causa desse projeto. Se ele for aprovado, vai haver uma ditadura gay no Brasil que vai atingir todo e qualquer cidadão que se opõe ao pensamento homossexual.”

O tal referido projeto é o Projeto de Lei 122/2006, que define como crime a prática da homofobia no Brasil, equiparando-a com o racismo. Na Paraíba, o pessoal do Vinacc comprou espaço em outdoors pra fazer uma campanha contra o projeto. A justificativa deles é que caso o projeto seja aprovado “vai subtrair garantias contidas na Constituição Federal, transformando nosso País numa espécie de “ditadura gay”, onde será proibido qualquer tipo de crítica a orientação homossexual.

Trechinho do site do VinaccImpressionante, o site do pessoal do Vinacc só fala (mal) desse assunto, homossexualidade. E o resto da filosofia de vocês hein? Cadê? Entrei no site de vocês pra conhecer a tal da “Visão da Nova Consciência Cristã” e só vi a frase “homossexualidade é pecado” escrita de umas 14 maneiras diferentes.

Ora, francamente meus queridos. Crítica à orientação sexual não pode ser proibida, é um direito garantido pela Constituição na forma da liberdade em expressar-se. Eu posso lamentar imensamente o fato de você ser homossexual (ou heterossexual, não vem ao caso), o que eu não posso é te discriminar pela sua preferência sexual, seja qual for. O pessoal desse Vinacc tá confundindo “direito de criticar” com discriminação.

Mas não vá dizer isso pra eles, você corre o risco de ser taxado de simpatizante da comunidade gay e exorcisado on-the-fly.

Leia mais aqui, aqui e aqui.

Em tempo: eu lembrei de um episódio que eu testemunhei. Em frente ao Tate Center, na UGA, um casal de pastores de alguma Igreja evangélica batista do sul dos Estados Unidos pregava veementemente contra o homossexualismo. Diziam que a Aids era o instrumento de Deus contra essa libertinagem e outras atrocidades. Um dos transeuntes que passava não gostou da pregação e gritou um rotundo “FUCK YOU, BIGGOT”, e foi aplaudido pelos demais. Uma semana antes, mais ou menos, havia ocorrido no mesmo Tate Center um “dia da consciência gay”, onde gays e simpatizantes se reuniram, em solidariedade aos colegas menos resolvidos (não assumidos) e trocaram relatos de experiências, etc. Liberdade de expressão é isso aí.

Relacionamentos: um estudo gráfico.

Pelas minhas andanças nas internets¹, já vi muita coisa, boa e ruim. Uma das melhores que eu encontrei foi um gráfico² que explica como os homens se sentem em relação ao sexo oposto, com relação aos dois tipos principais de beleza. Traduzi-o e apresento-vos:

Gráfico de Relacionamentos homem-mulher

Tirem um tempinho para examinar os aspectos mais sutis do gráfico. Vale a pena.

(A gente (bem, o Silveira) fez o gráfico no InkScape. Compre um kit de réguas, umas cartolinas e reproduza o gráfico em tamanho jumbo. Coloque no seu quarto. Impressione as garotas.)

¹: não confunda a Internet com as internets. A diferença é sutil.
²: encontrei esse gráfico num fórum, em inglês, e quem postou o gráfico não identificou o autor. Se você for o autor, tem aqui meus parabéns e me mande um e-mail para ser devidamente creditado :)

Paradise Now

O fato de ser um filme palestino já chama muita atenção.

Paradaise Now PosterParadaise Now, (الجنّة الآ, 2005). Como é bom achar numa locadora um desses filmes que você está a muito tempo procurando. Não tenho do que reclamar dos filmes árabes que eu já assisti, mas produzir um filme dentro de um território ocupado, nas circunstâncias que é a Palestina torna a coisa toda muito mais interessante.

O filme é sobre homens bomba mas, como é de costume, eu não vou revelar mais nada sobre o enredo. Não adianta chorar. Qualquer pequena sinopse iria conter revelações sobre o enredo e isso é uma coisa realmente irritante.

O filme aborda, mas não esgota, o tema do ataque suicida enquanto forma de resistência palestina. Embora o filme tenha sido, naturalmente, muito criticado por isso ele é um olhar muito autocrítico e cauteloso sobre o tema. Ele exibe este tema com detalhes mas sem tomar partido. Quando você acha que isso aconteceu o filme puxa violentamente sua opinião para o outro lado.

Embora ele coloque um lado religioso, também contra balanceia expondo, ainda que delicadamente, a ocupação Israelense. Não há uma visão estereotipada dos elementos e dos personagens, mas sim uma complexa mistura de fatores. Isso ficou muito bom. Pena que os personagens não tenham mais tempo no filme para crescer.

Cena do filme Paradaise NowEu concordo com o filme sobre muitas coisas, somos contra os atentados terroristas já que servem como álibi para Israel e que necessitamos de paz e que para a paz seja atingida é necessário haver duras concessões.

Se você se interessar pelo tema sugiro também o estupendo Promessas de Um Mundo Novo. Uma coleção de entrevistas com crianças israelitas e palestinas em forma de documentário. Esse me arrancou lágrimas.

Enfim, Paradise Now é um olhar interessantíssimo sobre o assunto e uma imensa coragem de sair do clichês atuais. Um filme obrigatório.

Por faltar alguma coisa que eu não sei o que é o filme fica com 4 de 5 Schnauzers.
4 Schnauzers

O DVD do Paradise Now eu encontrei pelo menor preço aqui (Buscapé).